quinta-feira, 21 de julho de 2011

MIGUELITO: DE SÃO MIGUEL ARCANJO PARA A HISTÓRIA UNIVERSAL!

(Em homenagem a uma família linda, encantadora e completamente descontrolada!)

Você já conheceu alguma menina encantadora? De olhar meigo, sorriso doce, pequena, terna, sorridente e alegre? Eu conheço! Mas todo ser humano, ainda que criança, possui seu lado sombrio. Muitos tentam ocultar, criam disfarces, mas nós estávamos lá no dia em que Gigi mostrou do que uma doce criança é capaz! Freud já havia alertado toda a humanidade e todos riram dele!
Eram quatro e meia, passava um pouquinho....era um trem noturno que vinha distante.....chegávamos de um desfile de carnaval em São Miguel Arcanjo. Cidade de anjos, mas que também tem o seu lado negro da força. Estávamos sentados à mesa: eu, Fião, Rubinho e sua linda e inocente Gigi (já farta das travessuras de crianças bobas que brincam com spray e dão cambalhotas idiotas antes da banda passar). Já estávamos desgastados, passados, mal passados, tostados, requentados e fritados por dias e dias de folia. Nossos fígados tal qual geleia Quaker! Conversávamos sei lá o que, nem me lembro, nem Tim Maia lembraria!
 Eis, que para amedrontar a pobre Gigi, num voo rasante, girando como helicóptero em queda livre, aparece ele:

 MIGUELITO, um pobre e infeliz besouro. Não porque um besouro seja infeliz. Mas ter um universo infinito para sobrevoar e se deixar cair justamente na casa dessa menina?
Uma criança chora, grita e se desespera:
-  Ahhhhhhhh.....papai, papai...o que é isso? Um monstro?
Fião, na sua solicitude de salvar a pobre criança, pega uma tampa sobre a mesa e pouuuuuuuuuu...tonhonhonhon....Miguelito cai sobre a mesa, zonzo, exausto. Parecia ter enfrentado a fúria do Exterminador do Futuro. Na verdade, Fião é quase isso!
A criança riu...um sorriso contido, mas repleto de felicidade (já dizia Nietzsche: “A crueldade é mais antiga alegria festiva da humanidade!”). Miguelito, cambaleando, como se tivesse sobre o efeito de uma garrafa de cachaça, rasteja lentamente sobre a mesa. Gigi, essa pobre e inocente criança, pega uma tampinha de cerveja e dá o primeiro golpe:
- Obaaaaa!!!!! Vamos ver se Miguelito consegue andar?
Com muita dificuldade, um movimento é percebido por nossos olhos vacilantes e pasmos por uma cena tão horrível e chocante!
- E com duas papai? Ele andará?
O movimento é mais lento ainda, mas nosso olhar também lento o consegue acompanhar. Mas ele, como um Hércules que não se dá por vencido, continua sua saga rumo ao desconhecido (ou seja, o final da mesa!).
- Papai...agora vou colocar cinco de uma vez! Será que ele aguenta?
Não há obstáculos para quem quer vencer meu amigo! E ele vence! Uma pilha de tampinhas fedorentas, gosmentas e inebriantes pesam sobre seu já pesado casco.
- Filha...ele já demonstrou do que é capaz! (disse o desequilibrado pai). Agora chega! Amanhã você tem aula de catequese!
- Posso contar isso na catequese e para a Dona Veva?
- É melhor guardarmos segredo filha. Afinal, sua catequista é devota de São Francisco de Assis e Dona Veva não gosta muito de crianças!
- Tudo bem papai. Zuuummppp...Bico calado! Vou dormir.....
E a linda, inocente e doce criança dormiu a noite mais tranquila e serena de sua vida, com aquele sorriso nos lábios como quem ganhou o melhor presente de natal de todo interior de São Miguel Arcanjo.

Nos próximos capítulos, Miguelito e suas andanças pelo mundo e pela história. Só assim ele se tornaria o mito que é hoje! E nós não teríamos o que fazer enquanto ficávamos à espera de todos!
Aguardem!
(Só estamos esperando a resposta de uma grande emissora de televisão que está querendo comprar os direitos autorais para publicar o primeiro capítulo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário