quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Um brinde!

Um brinde a minha família que eu amo,  que me suporta e não me internou até hoje.
Um brinde ao meu filho, que graças a Deus só aprendeu o que tenho de bom. (Que não é muita coisa, eu sei!).
Um brinde aos meus amigos de infância, dos campinhos de futebol, das caçadas, dos carrinhos de rolimã e das brincadeiras na rua. (Um brinde também aos vizinhos que furavam nossas bolas e contribuíam pra que apanhassemos em casa).
Um brinde às escolas e aos professores que contribuíram para que eu chegasse até aqui. Vocês fizeram um ótimo trabalho. (Eu é que não presto mesmo!)
Um brinde aos meus amigos da adolescência e da juventude, que ajudaram a “corromper” meu caráter e ensinar o contrário do que aprendi em casa e na igreja.
Um brinde às minhas paixões da adolescência. Nem vou comentar por precaução, acho que já estão todas de aliança nos dedos. (Sou louco mas não sô besta!).
Um brinde a tudo o que aprendi no seminário. (Apesar dos vinhos que roubei do padre).
Um brinde aos amigos que fiz na Universidade, à minha faculdade de Filosofia que muito contribuiu para me deixar completamente sem noção.
Um brinde aos amigos que fiz em Bauru, aos meus amigos da pagodera, aos meus vizinhos, aos “cumpanheros” das longas jornadas (saudade de todos!).
Um brinde a vocês que me estenderam a mão e me deram uma lanterna quando eu estava numa escuridão plena. Sou infinitamente grato!
Um brinde aos lugares onde trabalhei (apesar de não ter sobrado um puto de tudo ganhei).
Um brinde aos amores que vivi e aos dissabores que causei.
Um brinde às minhas vitórias e aos meus tropeços.
Um brinde a mim, um brinde a você, um brinde à vida!
Um brinde a Deus que conhece minha alma e todo meu ser!
(Se esqueci de algo, um brinde à minha memória de Garcia!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário