segunda-feira, 23 de março de 2015

O que é a família tradicional?

             Há pouco li um belo texto de uma colega professora sobre os exemplos de família tradicional presentes no Antigo e Novo Testamento. Com tantos belos "exemplos", confesso que minha família não se encaixaria em nenhum deles. Resolvi então exercitar minha memória e tentar qualificar se ela se enquadraria ou não no que supostamente seria hoje o modelo de família tradicional que todos querem defender e trazer de volta como um tesouro enterrado.
             Família tradicional é aquela em que os filhos ao chegarem em casa encontram seus pais com os braços abertos para dar-lhes atenção e carinho, ouvir-lhes suas intrigantes histórias do que aprenderam ou vivenciaram na escola?
          Minha família não era nada tradicional. Meu pai trabalhava de dia em um supermercado e à noite vendia pipoca. Minha mãe, quando não estava no tanque, estava na máquina de costura. Apenas dizia que a comida estava no fogão e um de nós teria que esquentar porque a encomenda não podia esperar! Nem a fome!
            Família tradicional é aquela em que todos se reúnem em volta da mesa para juntos repartirem o pão de cada dia, orarem ao Senhor e ouvir respeitosamente o que o patriarca tem a nos dizer?
     Minha família não era nada tradicional. Normalmente comíamos na sala assistindo televisão. Eu sei, que péssimo hábito seus pais permitiam. Calma, não se precipite! Nós adorávamos aquilo e isso não fez de nós retardados ou alienados! Já o patriarca, quase sempre ausente, nada tinha a dizer, pois trabalhar era preciso. E quando chegava,normalmente os ouvidos já estavam silenciosos.
           Família tradicional é aquela que reparte da forma mais justa e igualitária o pão, a bolacha e o biscoito?
        Minha família não era nada tradicional. O pedido do mês era o pedido do dia. E a partilha justa só era possível se todos estivessem presentes quando o caminhão do supermercado chegava. O atrasado saía sempre injustiçado!
           Família tradicional é aquela em que os pais definem muito bem o papel de meninos e meninas, corrigindo atos que se desviam do "tipo médio" como dizia Durkheim?
         Minha família não era nada tradicional. Éramos incorrigíveis! Vassoura e bucha de pia na mão dos meninos! Enxada e pá para as meninas! Nossas roupas (nem posso afirmar com exatidão se as íntimas escapavam à regra) não tinham gênero, nem sexo!
        Família tradicional é aquela em que os pais sempre dialogam com seus filhos sem nunca fazer uso de qualquer violência? Afinal família é amor, respeito e compreensão, não é?
        Minha família não era nada tradicional. Alí o coro comia e o chinelo corria solto. E depois de umas boas palmadas, ouvíamos sempre a ameaça: não está bom pra você? Pois saiba que tem gente pior do que a gente. Então senta e come! Pega esse sapato, veste e vai pra escola! Nem por isso fiquei reprimido, recalcado, deprimido, sem senso de sentido para a vida. Não tinha tempo de pensar em tantas querelas metafísicas! Era preciso viver. E vivíamos muito!

      Ainda bem que minha família nunca foi tradicional. Temos nossas diferenças, mas acredito que a vida e nossos pais nos ensinaram a ser mais fortes e mais tolerantes! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário