segunda-feira, 25 de maio de 2015

O problema é gente demais?

Num insigth de inteligência, desses lapsos que só acontecem uma vez na existência tive uma profunda desconfiança: o problema do mundo é gente demais!
Passei então a inverter o raciocínio e pensar o mundo com gente de menos.
Com menos gente, governos economizariam bilhões em programas sociais.
Com menos gente, até mesmo o erário público investido em estradas, hospitais e escolas poderiam ser reduzidos drasticamente.
Com menos gente, nosso trânsito deixaria de ser caótico, estressante e pouco eficiente. 
Com menos gente, menos transporte, menos poluição. Mais ar puro!
Menos gente significa menos consumo. Portanto, menos produção e menos lixo. Sustentabilidade!
Menos gente nos leva a pensar até mesmo em menos desemprego, menos pobreza, menos sofrimento.
Com menos gente diminuiríamos a competição, a inveja, a ambição, o ódio, a xenofobia, o preconceito e a intolerância.
Com menos gente, o mundo seria mais leve e menos pesado.
De repente meu raciocínio paralisou.
Lembrei de minhas lições de catequese.
No início eram quatro. E Caim matou Abel!
O problema não é gente. É a gente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário