segunda-feira, 15 de agosto de 2011

A DIFÍCIL ARTE DE DECIDIR!

Há dias em que acordamos com uma sensação estranha. Um vazio, um remoer do estômago, um desejo de permanecer quietinho em nosso quarto. Não ver ninguém, não ganhar o pão de cada dia, uma náusea. Sintoma de segunda-feira? Até o Garfield odeia a segunda! Mas não é isso. É a sensação de que você precisa tomar decisões. Talvez Sartre tenha razão, somos o único ser que experimenta a angústia. Por que uma decisão significa a anulação de inúmeras outras possiblidades. E você é o único responsável pelas decisões que toma, por isso sente o peso do passado a esmagar-lhe as vezes. Então se pergunta: me casarei novamente? Terei mais filhos? Mudarei de profissão? Mudarei de cidade? Fazer essa ou aquela faculdade? Tentar novamente ou separar? Ficar só ou viver um novo amor? E ninguém poderá decidir por você, ou então, você entregará as rédeas de sua vida em mãos alheias. Hesitar? Adiar a resposta? Dar-se um tempo? É possível, é compreensível. É humano! Mas no final você terá que decidir. É o drama de nossa existência. É o olhar extasiado diante de nossa própria tragédia. E na tragédia da vida somos personagem e ator. E é isso o que faz da vida o mais belo espetáculo!
“Não importa o que fizeram de nós. Importa o que faremos daquilo que fizeram de nós” J.P. Sartre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário