quarta-feira, 6 de junho de 2012

Pelos olhos da máquina!

É curiosa a montanha de mensagens postadas diariamente nas redes sociais. Muitas com palavras de afeto, outras de otimismo, algumas refletindo amarguras e decepções de toda sorte. Outras tantas realizando mil e um malabarismos para arrancar de nós um riso.  Vez ou outra alguma um pouco mais simpática e criativa nos faz brevemente vibrar a alma e encher os olhos.  Deuses de todas as estirpes são ali defendidos, louvados, amados e temidos. Até o diabo tem ali seu espaço, mesmo que para maldizê-lo ou fazer dele um bonde expiatório de todas as nossas mazelas. Ali também encontramos festa, glamour, voyeurs, exibicionismos de toda sorte, nossos 15 segundos de fama sobre a mira telescópica de alguns olhares. Por isso é cada vez mais comum ouvirmos pessoas dizerem que não viveriam sem estarem conectadas, suas vidas perderiam completamente o sentido! Estranho, milhares de anos pensadores e filósofos de todas as nações buscando o sentido de nossa existência, e agora descobrimos que o sentido é não mais sentir? É apenas ver e ser visto? E vistos por olhos que não são nossos, mas de máquina?
E máquina exala cheiro? Sente lábios carnudos sobre sua boca? Sente o cheiro do pecado? Reza pela absolvição? Pede perdão? Ama incondicionalmente? Mata impunemente? Sonha acordado? Teme ser amado?
Um ótimo feriadão! E vê se respira um pouco de ar puro e dá uns beijos calientes pra sentir o sangue na veia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário